Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2016

Tchau querida democracia

A partir de hoje não há mais democracia plena no Brasil. A ilusão de que o voto popular definia a sucessão dos ciclos políticos caiu por terra. A decisão soberana das urnas não vale mais nada. Basta que contrariem os interesses de grupos econômicos poderosos, sabemos que se arranjarão pretextos para derrubada de políticos que priorizem a inclusão social. A presidente eleita, Dilma Rousseff, não cai por ter cometido crime de responsabilidade (nunca configurado) nem por seus erros, mas por seus acertos: permitir o combate à corrupção sem reservas e não aceitar os acordos de gabinete propostos por Cunha e seus asseclas. Temer conspirou, traiu e vendeu a alma para os compradores de ocasião, nos conchavos de gabinete, distribuição de cargos e aumentos de salário. Mas a maior prova de que a história já começou seu julgamento é que Dilma está saindo maior do que entrou. E Temer? Não tem legitimidade nem entre os que apoiaram o golpe, que insistem em dizer que "não votaram nele". O…

Pronunciamento da presidenta Dilma após aprovação do golpe parlamentar

Ao cumprimentar o ex-Presidente Luís Inácio Lula da Silva, cumprimento todos os senadoras e senadores, deputadas e deputados, presidentes de partido, as lideranças dos movimentos sociais. Mulheres e homens de meu País.
Hoje, o Senado Federal tomou uma decisão que entra para a história das grandes injustiças. Os senadores que votaram pelo impeachment escolheram rasgar a Constituição Federal. Decidiram pela interrupção do mandato de uma Presidenta que não cometeu crime de responsabilidade. Condenaram uma inocente e consumaram um golpe parlamentar.
Com a aprovação do meu afastamento definitivo, políticos que buscam desesperadamente escapar do braço da Justiça tomarão o poder unidos aos derrotados nas últimas quatro eleições. Não ascendem ao governo pelo voto direto, como eu e Lula fizemos em 2002, 2006, 2010 e 2014. Apropriam-se do poder por meio de um golpe de Estado.
É o segundo golpe de estado que enfrento na vida. O primeiro, o golpe militar, apoiado na truculência das armas, da rep…

Íntegra do discurso de Dilma no Senado

Imagem
Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski
Excelentíssimo Senhor Presidente do Senado Federal Renan Calheiros,
Excelentíssimas Senhoras Senadoras e Excelentíssimos Senhores Senadores, Cidadãs e Cidadãos de meu amado Brasil,
No dia 1° de janeiro de 2015 assumi meu segundo mandato à Presidência da República Federativa do Brasil. Fui eleita por mais de 54 milhões de votos.
Na minha posse, assumi o compromisso de manter, defender e cumprir a Constituição, bem como o de observar as leis, promover o bem geral do povo brasileiro, sustentar a união, a integridade e a independência do Brasil.
Ao exercer a Presidência da República respeitei fielmente o compromisso que assumi perante a nação e aos que me elegeram. E me orgulho disso. Sempre acreditei na democracia e no Estado de direito, e sempre vi na Constituição de 1988 uma das grandes conquistas do nosso povo.
Jamais atentaria contra o que acredito ou praticaria atos contrários aos interesses daqueles q…

Nazismo é uma questão polêmica, melhor não opinar - Gregório Duvivier

O texto abaixo é de Gregório Duvivier e foi publicado na Folha de SP do dia 15 de agosto de 2016.
Hoje a gente vai falar sobre a SUPOSTA escravidão que teria ocorrido no Brasil no século 19. Oi, Marquinho? Por que "suposta"? Porque há controvérsias, há quem prefira chamar de mão-de-obra gratuita, e se eu chamar de escravidão, eu vou estar tomando partido contra a escravidão, e eu sou professora, não to aqui pra tomar partido.
Sim, Marquinho, bem lembrado. Muita gente como você afirma que teria sido um processo cruel, que envolvia muita violência, mas essa apenas é uma OPINIÃO, mesmo que compartilhada por muita gente. Enquanto você tem essa opinião, Marquinho, outros defendem, e eu sou obrigada por lei a lembrar, que foi graças à escravidão que o Brasil cresceu como nunca, então esse é um assunto polêmico no qual eu prefiro não entrar. Não vou entrar nesse mérito.
Não vou dizer o que acho, Jéssica, você não me obrigue a tomar uma posição sobre um assunto espinhoso desses. Esc…

Mas não é golpe - Pablo Villaça

Não é impeachment e nem é um julgamento por crime de responsabilidade; é um golpe e o processo é puramente político e econômico.
A imprensa do mundo inteiro (com exceção da brasileira, cúmplice dos golpistas) denunciou a farsa do impeachment. Mas não é golpe.
Mais da METADE da população brasileira enxerga o "impeachment" como um processo que contém irregularidades. E maioria absoluta deseja novas eleições. Mas não é golpe.
Um ex-governador notório pelas tais "pedaladas" se torna relator de um processo sobre estas e diz que são crimes. Mas não é golpe.
Um ex-governador, ex-deputado, candidato derrotado e senador campeão de menções em delações discursa falando sobre "honestidade" e "impunidade". Mas não é golpe.
Os peritos chamados pelo próprio Senado concluem que não houve crime e são ignorados. Mas não é golpe.
Diversas testemunhas da defesa tiveram suas convocações para depor negadas pela comissão do "impeachment". Mas não é golpe.
O…