Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2012

Eleições 2012: Não odeio ninguém

Imagem
Sabe aquela sensação de uma conversa abruptamente interrompida ou zapeada à volume mínimo porque você adentrou o recinto? Pois é. Nestes tempos sazonais, sei que teve gente que "se escandalizou" por eu ter apoiado o PT. Talvez, uma reversão de expectativa. Algo que provocou restrições à empatia das pessoas comigo. Ao menos por enquanto, alguns colegas passaram a me evitar por minhas opiniões políticas e publicadas. Outros acham e falam que eu deveria ser "neutro", dado que dialogo como "formador de opinião" em diversos ambientes que interajo. 
Ó céus...
As eleições municipais, recém concluídas, determinaram o retorno de duas oligarquias familiares em duas das principais capitais do país: Fortaleza (onde nasci) e Salvador (onde moro). Vontade da maioria, não minha. Ganharam no voto, não pelo meu. Eleitores, aos montes, movidos mais por certa sede de "vingança" foram determinantes em ambos os pleitos. Pessoas queridas, bradaram comigo: 
" - H…

STF, Olga Benário e Mensalão

"Dirceu e Genoíno foram condenados sem provas num julgamento contaminado. Isso vai entrar para a galeria de erros históricos do Supremo, ao lado da expulsão de Olga Benário" – Paulo Vannuchi, ex-ministro do governo Lula – Folha de S. Paulo, 28-10-2012.

Expectativas para o segundo turno, por José Dirceu

A poucos dias da realização do segundo turno das eleições municipais nas 50 cidades brasileiras onde o pleito ainda não foi definido, a expectativa é de que o Partido dos Trabalhadores volte a repetir o excelente desempenho do primeiro turno e aumente o número de prefeituras em todo o Brasil. Maior vencedor em 7 de outubro, o PT recebeu 17,3 milhões de votos (4,2 % a mais do que em 2008) e conquistou 624 prefeituras, comprovando que é o único partido que cresce a cada nova eleição.
Baseada em pesquisas públicas e levantamentos internos, análise realizada pela coordenação do partido a uma semana da decisão concluiu que o PT é a legenda com maior número de candidatos com chances de vencer nas 22 cidades em que concorre, já que estão bem posicionados em 15 delas.
Em São Paulo (SP), Santo André (SP) e João Pessoa (PB) os quadros estão praticamente definidos com a liderança de Fernando Haddad, Carlos Grana e Luciano Cartaxo, respectivamente. Nestas cidades e em Mauá (SP), Guarulhos (SP), …

Perfis de estudantes em sala de aula

Imagem

Data venia: juízo sobre o julgamentão da mídia

Imagem
A opinião publicada, mais que a pública, que pode ser redimida.
Data venia*...a princípio.
Ao longo dos últimos 3 meses pudemos acompanhar com abundante material diuturnamente publicado, veiculado e martelado pela grande mídia brasileira (escrita, falada, digitalizada e televisionada) o passo-a-passo do que ela mesma denominou o "maior julgamento da história". Ou, se preferem, o "divisor de águas da justiça brasileira". A ênfase na falta de precedentes remontava a nada menos que a chegada de Cabral. Ou, menos tragicamente, a Deodoro da Fonseca. 
Adjetivações hiperbólicas à parte, é óbvio que se tratava de um juízo importante. Tão importante quanto os julgamentos dos mensalões do PSDB e DEM deverão ser, ainda que sem a mesma cobertura jornalística a ser dispensada, isso é certo. O "juízo final" dos petistas (no STF, bem entendido), abriu mão dos chamados "atos de ofício" (juridiquês aprendido na didática cobertura da Globo), ou seja, provas diret…

Palavras Vulcânicas 37

"As palavras pedra ou faca ou maçã, palavras concretas, são bem mais fortes, poeticamente, do que tristeza, melancolia ou saudade. Mas é impossível não expressar a subjetividade. Então, a obrigação do poeta é expressar a subjetividade, mas não diretamente. Ele não tem que dizer ‘eu estou triste’. Ele tem é que encontrar uma imagem que dê ideia de tristeza ou do estado de espírito - seja ele qual for - por meio de palavras concretas e não simplesmente se confessando na base do eu estou triste." João Cabral de Melo Neto

Nota de José Dirceu sobre sua segunda condenação

NUNCA FIZ PARTE NEM CHEFIEI QUADRILHA
Mais uma vez, a decisão da maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal em me condenar, agora por formação de quadrilha, mostra total desconsideração às provas contidas nos autos e que atestam minha inocência. Nunca fiz parte nem chefiei quadrilha.
Assim como ocorreu há duas semanas, repete-se a condenação com base em indícios, uma vez que apenas o corréu Roberto Jefferson sustenta a acusação contra mim em juízo. Todas as suspeitas lançadas à época da CPI dos Correios foram rebatidas de maneira robusta pela defesa, que fez registrar no processo centenas de depoimentos que desmentem as ilações de Jefferson.
Como mostra minha defesa, as reuniões na Casa Civil com representantes de bancos e empresários são compatíveis com a função de ministro e em momento algum, como atestam os testemunhos, foram o fórum para discutir empréstimos. Todos os depoimentos confirmam a legalidade dos encontros e também são uníssonos em comprovar que, até fevereiro de…

A alma, a fome e a fé

Imagem
Não tem como não se emocionar com uma declaração de amor dessas... ------ Eu me curo no passado. Novas feridas, velhos remédios. Quanto mais o Flamengo perde identidade, mais eu mergulho nos meus cadernos já amarelados, nos álbuns de recortes que eu menino montava sob a supervisão de meu pai e que viravam relicários rubro-negros. Também fuço a Internet atrás de camisas antigas, fotos, chaveiros, qualquer coisa que sirva de elo entre o Flamengo que me fez flamengo e o tempo presente. O tempo presente: áridos dias de presidente omissa e seu marido tricolor, sem ídolos em campo, sem certeza de nada, sem a cura ancestral de uma tarde de sol no Maracanã.
No Flamengo revisitado que mergulhei depois do empate com gosto de nada diante do Cruzeiro surgiu um personagem. Zinho.



















Primeiro, abri um dos álbuns de recortes. De cara, Zico mandando um voleio pra cima de Acácio, lance da decisão da Taça Guanabara de 1989. Manchetes de jornais e da Placar e fotos menores adornam a foto maior. Na página d…

Palavras Vulcânicas 36

“A instituição tem a sua intuição fundacional marcada pelo amor de um coração inconformado com a educação que se oferecia na França rural de 1817. Marcelino Champagnat, homem profundamente sensível ao que acontecia à sua volta, sobretudo, à vida das crianças e jovens, acreditava que a educação deveria fazer sentido para eles, para elas. Cada Colégio é um bem evangélico e deve fazer Jesus Cristo conhecido e amado”.

Ir. Wellington Mousinho, Provincial da PMBCN

Joaquim Barbosa por ele mesmo (na Folha de São Paulo)

Imagem
Relator do mensalão afirma que votou em Lula e Dilma
MÔNICA BERGAMO COLUNISTA DA FOLHA
O "dia mais chocante" da vida de Joaquim Benedito Barbosa Gomes, 57, segundo ele mesmo, foi 7 de maio de 2003, quando entrou no Palácio do Planalto para ser indicado ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
A ocasião era especial: ele seria o primeiro negro a ser nomeado para o tribunal.
"Eu já cheguei na presença de José Dirceu [então ministro da Casa Civil], José Genoino [então presidente do PT], aquela turma toda, para o anúncio oficial. Sempre tive vida reservada. Vi aquele mar de câmeras, flashes...", relembrava ele em seu gabinete na terça-feira, 2.


No dia seguinte à entrevista com a Folha, e nove anos depois da data memorável de sua nomeação, Joaquim Barbosa condenou Dirceu e Genoino por corrupção.
Para conversar com o jornal, impôs uma condição: não falar sobre o processo, ainda em andamento no STF.
O TELEFONE TOCA
Barbos…

Julgamento do 'mensalão' - A direita que ri

Imagem
Tenho acompanhado nas redes sociais, desde cedo, e sem surpresa alguma, o êxtase subliterário de toda essa gente de direita que comemora a condenação de José Dirceu como um grande passo civilizatório da sociedade e do Judiciário brasileiro. Em muitos casos, essa exaltação beira a histeria ideológica, em outros, nada mais é do que uma possibilidade pessoal, física e moral, de se vingar desses tantos anos de ostracismo político imposto pelas sucessivas administrações do PT em nível federal. Não ganharam nada, não têm nada a comemorar, na verdade, mas se satisfazem com a desgraça do inimigo, tanto e de tal forma que nem percebem que todas essas graças vieram – só podiam vir – do mesmo sistema político que abominam, rejeitam e, por extensão, pretendem extinguir.
Por isso, ao invés de ficar cacarejando ódio e ressentimento nas redes sociais, a direita nacional deveria projetar minimamente para o futuro as consequências dessas jurisprudências de ocasião.
José Dirceu, como os demais condenad…

Nota de José Dirceu sobre sua condenação

"AO POVO BRASILEIRO
No dia 12 de outubro de 1968, durante a realização do XXX Congresso da UNE, em Ibiúna, fui preso, juntamente com centenas de estudantes que representavam todos os estados brasileiros naquele evento. Tomamos, naquele momento, lideranças e delegados, a decisão firme, caso a oportunidade se nos apresentasse, de não fugir.
Em 1969 fui banido do país e tive a minha nacionalidade cassada, uma ignomínia do regime de exceção que se instalara cinco anos antes.
Voltei clandestinamente ao país, enfrentando o risco de ser assassinado, para lutar pela liberdade do povo brasileiro.
Por 10 anos fui considerado, pelos que usurparam o poder legalmente constituído, um pária da sociedade, inimigo do Brasil.
Após a anistia, lutei, ao lado de tantos, pela conquista da democracia. Dediquei a minha vida ao PT e ao Brasil.
Na madrugada de dezembro de 2005, a Câmara dos Deputados cassou o mandato que o povo de São Paulo generosamente me concedeu.
A partir de então, em ação orquestrad…